Ações do REM MT de fortalecimento da agricultura familiar são destaques em programas de rádio na capital e interior

As ações do Programa REM Mato Grosso em prol do meio ambiente foram assunto de dois importantes programas de rádio, na última semana. Nas ocasiões, o tema abordado foram os Planos de Gestão das Cadeias de Valor da Sociobiodiversidade (PGCdV), com potencial de fortalecer a produção de 7 mil famílias da agricultura familiar e de povos e comunidades tradicionais, a exemplo dos indígenas, quilombolas e ribeirinhos. 

RÁDIO CONTI FM

Na quarta-feira (27.07), o programa Bom dia Agro, da rádio Conti FM (103,7), destacou a história da Cooperativa dos Produtores Agropecuários da Região Norte de Mato Grosso (Coopervia). Ela é uma das organizações que contará com a mentoria, paga pelo REM MT,  para elaborar seu PGCdV em cima da cadeia de valor da Castanha do Brasil. 

“Com a qualidade da equipe técnica que vai nos acompanhar, eu tenho a mais absoluta certeza que vamos desenvolver um bom trabalho”, destacou durante a matéria a presidenta da Coopervia, Ana Maria dos Reis. 

A reportagem também ressaltou a capilaridade dos PGCdV, que irão beneficiar comunidades locais em todas as regiões de Mato Grosso, que abrangem os biomas Amazônia, Cerrado e Pantanal.  

“Pensando na gestão de negócios rurais, um Subprograma de Agricultura Familiar e de Povos e Comunidades Tradicionais [AFPCTs/REM MT], oferece mentoria para mais de 50 organizações, que trabalham com cadeias produtivas. Setenta por cento são associações. Vinte e três por cento cooperativas de produtores rurais, que vão receber investimentos na ordem de mais de 23 milhões de reais”, destacou a locutora. 

A reportagem completa pode ser conferida AQUI, a partir do minuto 16:17. 

RÁDIO ARCO ÍRIS

Um dia antes, na terça (26.07), o trabalho do REM MT no fortalecimento da agricultura familiar do Estado também foi assunto na rádio Arco Íris FM, do município de Cotriguaçu, ao Noroeste de Mato Grosso. Dessa vez, os entrevistados foram Silvio Bragança e Silvana Ibes, ambos representantes da Associação de Coletores e Coletores de Castanha do Brasil do PA Juruena (ACCPAJ). A entidade também terá seu plano de gestão elaborado a partir das ações do REM MT. 

 

Coletores de castanha da ACCPAJ na floresta amazônica. Foto: ICV

Eles destacaram que os PGCdV irão fortalecer todos os elos das cadeias da sociobiodiversidade da produção do Pequi, Babaçu, Castanha do Brasil, Cumbarú, Sementes Florestais e da Borracha Natural. Os entrevistados também citaram outras cadeias, não prioritárias, que também serão fortalecidas pelas ações do REM MT. São elas: Leite, Banana e Apicultura. 

“O fortalecimento delas [as cadeias] se dará através dos planos de gestão. Esses planos são pensados para durar de curto a médio prazo [cinco anos] e têm o objetivo de fortalecer todos os elos da cadeia de valor, começando dentro das propriedades e indo para fora”, destacou Silvana. 

Confira a entrevista na íntegra:

 


Por Marcio Camilo
edição: Mariana Vianna