Posição 5

Notícias

REM MT destina recursos ao IBAMA para reforma de salas e compra de equipamentos

Em continuação às ações de fortalecimento institucional, o Programa REM MT destinou recursos ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis de Mato Grosso (IBAMA-MT) para reforma de uma sala de situação e para compra de equipamentos para as equipes de fiscalização.

 

Umas das frentes de trabalho do Programa REM MT é fortalecer instituições públicas que atuam no combate ao desmatamento ilegal em Mato Grosso. O IBAMA atua no licenciamento, controle da qualidade e monitoramento ambiental, autorização de uso dos recursos naturais e fiscalização.

 

Como forma de melhorar o trabalho de fiscalização das equipes do IBAMA, o REM MT viabilizou a reforma da sala de situação, que foi inteiramente equipada com computadores, telão, ar-condicionado e móveis novos para receber as equipes das demais unidades federativas. 

 

A sala de situação atenderá as equipes de trabalho das demais unidades federativas do IBAMA - Foto: Priscila Soares/ REM MT.

 

O Chefe de Fiscalização do IBAMA, Edilson Paz Fagundes, explica que a reforma era necessária para um melhor ambiente de trabalho aos servidores.

“A gente tem uma estrutura que é bem antiga, o prédio do IBAMA é da década de 70 e a gente necessitava de melhorias para poder desenvolver as nossas atividades com uma melhor qualidade e oferecendo melhores condições de trabalho aos servidores”, explica.

 

O servidor também reforçou a importância dos novos equipamentos para a equipe.

“Com a aquisição dos novos equipamentos, houve um incremento considerável na qualidade do trabalho. São equipamentos novos, de última geração, de alta qualidade, que vão melhorar os trabalhos da fiscalização que a gente executa no Estado”, completou Edilson.

 

Os novos equipamentos melhoram a qualidade do serviço prestado em prol da preservação ambiental em Mato Grosso - Foto: Priscila Soares/ REM MT.

 

Essa não foi a primeira vez que o Programa REM MT destina recursos ao IBAMA. O programa já realizou a compra de telefones via satélite, para atender uma necessidade das equipes de campo, que enfrentam dificuldades de acesso à comunicação em locais ermos e também a aquisição de drones, que aumentou a qualidade das fiscalizações, melhorando o combate aos crimes ambientais.

 

O coordenador do Subprograma Fortalecimento Institucional e Políticas Públicas Estruturantes do REM MT, Elton Antonio da Silveira, demonstrou a satisfação do programa em fortalecer o trabalho do IBAMA no Estado.

“O REM MT cumpre seu papel institucional ao viabilizar essas melhorias à instituições tão importantes nessa missão de manter a floresta em pé. Todos esses investimentos refletem na conservação ambiental e na melhor qualidade do trabalho desenvolvido pelos servidores”, disse.

 

Entrega dos telefones via satélite para os servidores do IBAMA e da SEMA - Foto: Fernanda Fidelis/ REM MT.

 

CONHEÇA O REM MT

 

O Programa REM MT é uma premiação dos governos da Alemanha e do Reino Unido, por meio do Banco Alemão de Desenvolvimento (KfW), ao Estado do Mato Grosso pelos resultados na redução do desmatamento. O REM MT beneficia aqueles que contribuem para manter  a floresta em pé, como os agricultores familiares, pequenos e médios produtores que praticam a agropecuária sustentável, povos e comunidades tradicionais e os povos indígenas. O REM MT também realiza o fomento de iniciativas que estimulam a economia de baixo carbono e a redução do desmatamento, a fim de reduzir as emissões de CO2 no planeta. 

 

O Programa REM MT é coordenado pelo Governo do Estado de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA), e tem como gestor financeiro o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO). 

 

 

 

Por Priscila Soares (REM MT)

 

Seringueiras inovam com produção de biojoias e geram nova fonte de renda

O Distrito de Ouro Branco, localizado há 324 km de Cuiabá, é uma comunidade que desde o seu surgimento, tem o manejo das seringueiras como a sua principal fonte de renda. O Distrito possui 1.100 hectares de floresta de seringueiras no meio do cerrado, mas, com o passar dos anos, a comunidade começou a enfrentar alguns desafios na produção de látex, que por conta da idade das árvores, não produziam mais como antes.

 

Com essa nova realidade, as mais de 100 famílias moradores de Ouro Branco tiveram que inovar para poder ter uma nova fonte de renda. Foi então, que o Programa REM MT, apoiou um projeto de beneficiamento do látex, prestando consultorias à comunidade e mostrando novas formas de utilizar essa matéria-prima.

 

Dentro deste projeto, está em andamento também a construção de um viveiro de mudas que será utilizado para a renovação do seringal. O seringal antigo será parcialmente e gradualmente substituído, com o plantio de novos clones mais produtivos. Também haverá um incentivo a integração com outras culturas para complementar a renda durante o período de crescimento das árvores novas e a agregação de valor com a integração das mulheres numa atividade de produção de biojoias.

 

O Projeto Fortalecimento da Cadeia da Borracha: viabilidade econômica, social e ambiental a partir da renovação sustentável do seringal, é coordenado pela Cooperativa de Seringueiros de Ouro Branco (COOPSOB), cujas atividades beneficiam 72 cooperados. Rubens Ribeiro, presidente da COOPSOB, explicou a importância do projeto para a comunidade.

 

“Hoje, dentro do Programa REM, a gente teve a oportunidade de trabalhar com as biojoias, além da renovação do seringal, que a gente tem um carinho muito grande, pois, foi o início da subsistência de todo mundo aqui. A gente vem, por meio do projeto, fazendo essa renovação do seringal, para que tenha uma longevidade de produção, para subsistência familiar dos produtores e de seus sucessores. Então a gente é muito grato por todo esse contexto, devido a estrutura que a gente tem hoje”, enfatiza Rubens.