Home

Lideranças indígenas de MT fazem intercâmbio no Acre para conhecer a formação de Agentes Ambientais Indígenas

Entre os dias 20 e 24 de maio, representantes da Governança Indígena do Programa REM MT, realizaram um intercâmbio para conhecer o programa de formação de Agentes Ambientais Indígenas do Acre, que existe há cerca de 20 anos. O Programa REM MT subsidiou a viagem das lideranças com o intuito de trocar experiências com o Programa REM Acre, que apoia a capacitação através de programa de formação e bolsas de estudo para os agentes ambientais no Estado.

 

Inspirada por este modelo, uma equipe do Programa REM MT, junto com os representantes indígenas, visitaram o Acre para compreender melhor a proposta  do programa de formação e adaptar as melhores práticas à realidade de Mato Grosso. 

 

O Programa REM Acre atua junto com e com a Associação dos Agentes Agroflorestais do Acre (AMAAIAC). O programa inclui cursos intensivos e monitoramento contínuo das ações dos agentes em formação. 

 

Intercâmbio foi importante para o desenvolvimento do programa de formação em Mato Grosso - Foto: Programa REM MT 

 

A cientista social e antropóloga do Programa REM MT, Paula Vanucci, explica como está sendo idealizada essa formação em Mato Grosso.

“O objetivo é que o Programa não só forneça formação técnica, mas que também seja um fomento para o reconhecimento dessa categoria, essencial para a defesa dos territórios indígenas. O enfoque principal será na segurança alimentar e na vigilância territorial. A experiência do Acre demonstra que é possível restaurar áreas degradadas e implementar Sistemas Agroflorestais (SAF) e quintais produtivos, garantindo assim a produção de alimentos para as aldeias”, explica Paula.

 

As lideranças indígenas e os representantes do Programa REM MT acompanharam, por dois dias, o curso de formação dos agentes agroflorestais no Centro de Formação dos Povos Indígenas da Comissão Pró-Indígenas, observando práticas como manejo de tartarugas e tracajás, implementação de SAFs e aproveitamento de águas da chuva com tecnologias sociais. Essas experiências serão fundamentais para a discussão e fechamento do desenho do curso para Mato Grosso, que deverá ocorrer no segundo semestre de 2024. 

 

Com os resultados promissores verificados no Acre, o Programa REM MT visa replicar esses sucessos, promovendo autossuficiência alimentar e o bem estar das comunidades indígenas, conciliando com a proteção ambiental  e o uso sustentável dos recursos naturais. Este projeto espera não só capacitar novos agentes ambientais indígenas, mas também servir como um legado duradouro para futuras políticas públicas de proteção e desenvolvimento das terras indígenas em Mato Grosso.

 

O intercâmbio foi fundamental para a discussão e fechamento do desenho do curso para Mato Grosso, que deverá ocorrer no segundo semestre de 2024 - Foto: Programa REM MT

 

CONHEÇA O REM MT

 

O Programa REM MT é uma premiação dos governos da Alemanha e do Reino Unido, por meio do Banco Alemão de Desenvolvimento (KfW), ao Estado de Mato Grosso pelos resultados na redução do desmatamento. O REM MT beneficia aqueles que contribuem para manter a floresta em pé, como os agricultores familiares, pequenos e médios produtores que praticam a agropecuária sustentável, povos e comunidades tradicionais e os povos indígenas. O REM MT também realiza o fomento de iniciativas que estimulam a economia de baixo carbono e a redução do desmatamento, a fim de reduzir as emissões de CO2 no planeta. 

 

O Programa REM MT é coordenado pelo Governo do Estado de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA), e tem como gestor financeiro o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO). 




Por Priscila Soares (REM MT)