Logo Governo MT
 

 

Projeto financiado pelo Programa REM MT será mostrado aos produtores de Sorriso como referência em produção sustentável envolvendo grandes commodities de Mato Grosso  

 Marcio Camilo/Comunicação REM MT

Continuam abertas as inscrições do dia de campo online 6° Encontro Regional de Sistemas Produtivos, com objetivo de mostrar práticas sustentáveis de produção de commodities envolvendo a soja, o milho e a agropecuária. O evento ocorre neste sábado com transmissão online a partir das 9h (horário de Brasília) direto do estúdio televisivo da Embrapa Agrossilvipastroril, pelos sites Vida Rural MT (https://vidaruralmt.com.br/), Associação Amigos da Terra de Sorriso (www.catsorriso.org.br) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (https://www.embrapa.br/agrossilvipastoril/).

Os interessados em participar do dia de campo devem se inscrever pelo site www.catsorriso.org.br.

O evento terá como exemplo os experimentos de sistemas produtivos integrados promovidos pela Embrapa na Fazenda Santana, no município de Sorriso, a 396 quilômetros de Cuiabá.

Lá os produtores conhecerão técnicas de plantio direto para enriquecer o solo de matéria orgânica e desse modo gerar nutrientes para a soja.

É o que ocorre quando a planta braquiária divide o mesmo terreno com a soja, pois a braquiária tem a capacidade de buscar nutrientes nas camadas mais profundas dos solos e bombeá-los para cima, promovendo, assim, a descompactação e o incremento de matéria orgânica do solo.


Consórcios forrageiros na Fazenda Santana, em Sorriso-MT/Embrapa

Em decorrência deste incremento, o solo aumenta sua capacidade de armazenamento de água e nutrientes disponíveis para as plantas, ajudando a cultura da soja durante os períodos de veranicos ao longo do seu ciclo produtivo.

Durante o dia de campo os produtores terão a oportunidade de ouvir palestras de renomados especialistas em agropecuária da Embrapa e também da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), que, a partir do exemplo da Fazenda Santana, irão explicar a importância da produção envolvendo diversas culturas integradas para o meio ambiente.

O projeto é financiado desde fevereiro deste ano com recursos da Chamada 08/2020 do Subprograma Produção, Inovação e Mercado Sustentáveis (PIMS) do REM Mato Grosso. De acordo com Flávio Wruck, um dos pesquisadores da Embrapa que participa da iniciativa, o encontro será uma oportunidade de mostrar aos produtores que é possível plantar commodities de maneira sustentável e em harmonia com diferentes culturas.

Sobre o Programa REM MT

O Programa REM MT (do inglês, REDD para Pioneiros) é uma premiação ao Estado do Mato Grosso pelos resultados na redução do desmatamento nos últimos 10 anos. A cooperação internacional dos governos do Reino Unido e da Alemanha doam recursos por meio do BEIS e do Banco de Desenvolvimento Alemão (KfW) para o Programa que aplica em ações de conservação da floresta a fim de reduzir emissões de CO2 no planeta. Para isso, beneficia diretamente iniciativas que contribuem para reduzir o desmatamento, estimular a agricultura de baixo carbono e apoiar povos indígenas e comunidades tradicionais.

É coordenado pelo Governo do Estado de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA), e gerenciado financeiramente pelo Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO). Saiba mais sobre o Programa REM MT em: https://remmt.com.br/

Confira a programa completa do evento: 

 

O 6º Encontro Regional de Sistema Produtivos irá mostrar projeto financiado pelo REM Mato Grosso que cultiva a soja integrada com diferentes tipos de cultura

Marcio Camilo/Comunicação REM MT

Produzir commodities com sustentabilidade e biodiversidade. É o que o REM Mato Grosso, juntamente com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), unidade de Sinop (MT), Agrossilvipastoril, pretende mostrar no 6° Encontro Regional de Sistemas Produtivos. O evento será realizado via transmissão online para mostrar as primeiras impressões da produção de culturas integradas envolvendo a soja, o milho e a pecuária, na Fazenda Santana, no município de Sorriso, a 396 quilômetros de Cuiabá.

O projeto é financiado desde fevereiro deste ano com recursos da Chamada 08/2020 do Subprograma Produção, Inovação e Mercado Sustentáveis (PIMS) do REM Mato Grosso. De acordo com Flávio Wruck, um dos pesquisadores da Embrapa que participa da iniciativa, o encontro será uma oportunidade de mostrar aos produtores que é possível plantar commodities de maneira sustentável e em harmonia com diferentes culturas.

No Sistema Plantio Direto (SPD), por exemplo, a sucessão formada por soja na safra e consórcios forrageiros na safrinha gera palhada em grande quantidade e de elevada qualidade agronômica. É um tipo de produto que proporciona diversos serviços ecossistêmicos, praticamente gratuitos, ao sistema de produção agrícola que, ao longo do tempo, recupera o solo física, química e biologicamente. Isso gera economia ao produtor e menos impacto ao meio ambiente.

Um exemplo dos serviços ecossistêmicos que serão mostrados no encontro é como as raízes das plantas de braquiária tem a capacidade de buscar nutrientes nas camadas mais profundas dos solos e “bombeá-los para cima”, promovendo também neste processo a descompactação e o incremento da matéria orgânica do solo. Em decorrência deste incremento, o solo aumenta sua capacidade de armazenamento de água e nutrientes disponíveis para as plantas, ajudando a cultura da soja durante os períodos de veranicos ao longo do seu ciclo produtivo.

Flávio ressalta que essa biodiversidade também pode ser vista no sistema de Integração Lavoura-Pecuária (ILP), onde há uma intensa rotação de culturas favorecendo o aumento da biodiversidade do solo.


Consórcios forrageiros na Fazenda Santana, na cidade de Sorriso-MT/Foto: Embrapa

“Umas das grandes vantagens é que esses sistemas integrados de produção ajudam a reduzir os nematoides, uma das principais doenças que atacam o sistema radicular da soja. Tudo isso feito com práticas agroecológicas a partir de consórcios forrageiros que reduz a população desses nematoides”, ressalta Flávio Wruck, pesquisador da Embrapa Agrossilvipastoril.

Daniela Melo, coordenadora do Subprograma PIMS do REM MT, ressalta que projetos como esse são fundamentais para reduzir a pressão por desmatamento em cadeias produtivas que historicamente mais impactam as áreas naturais do estado.

“Eles são estratégicos para o Programa REM, no sentido de ajudar Mato Grosso cada vez mais a honrar o compromisso com o mundo de preservar o meio ambiente, zerar o desmatamento ilegal, e, consequentemente, reduzir as emissões de CO2 no planeta”, reforça a gestora do PIMS.

Detalhes do evento

Os interessados em participar da transmissão do 6° Encontro Regional de Sistemas Produtivos devem se inscrever pelo site www.catsorriso.org.br. O evento será transmitido a partir das 9h (horário de Brasília) direto do estúdio televisivo da Embrapa Agrossilvipasoril pelos sites Vida Rural MT (https://vidaruralmt.com.br/), CAT Sorriso e da própria Embrapa (https://www.embrapa.br/agrossilvipastoril/).

Os produtores terão a oportunidade de ouvir palestras renomados, especialistas em agropecuária da Embrapa e também da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), que, a partir do exemplo da Fazenda Santana, irão explicar a importância da produção envolvendo diversas culturas integradas para o meio ambiente.

“As palestras vão ocorrer no estúdio da Embrapa com geração de imagens que coletamos da Fazenda Santana”, detalha Cristina Delicato, CEO da Associação Amigos da Terra de Sorriso (CAT), uma das entidades que organiza o evento

O evento já é tradicional em Mato Grosso, sendo realizado anualmente por meio de visita de campo as propriedades que são modelos em sistema produtivos integrados. Mas, diante do contexto da pandemia do novo coronavírus, o encontro desse ano terá que ser realizado 100% online.

Parceiros

Image
Image
Image
Image
Image
Image