Logo Governo MT

POSSÍVEL PARCERIA: Imagens de satélites da Agência Espacial Europeia podem ser compartilhadas com Governo de MT, acredita embaixador

Ignácio Ybanez Rubio avalia que troca de conhecimento pode aprimorar ainda mais o sistema de monitoramento via satélite da Sema, no combate ao desmatamento ilegal das florestas mato-grossenses

Marcio Camilo/Comunicação REM MT

O embaixador da União Europeia, Ignácio Ybanez Rubio, quer contribuir com o sistema de monitoramento via satélite de combate ao desmatamento ilegal em Mato Grosso, em especial na floresta Amazônica. Ele participou da comitiva de embaixadores dos EUA e da Europa que vieram conhecer as políticas ambientais do Governo do Estado.

O monitoramento é feito pelo satélite Planet, tecnologia adquirida por meio do Programa REM Mato Grosso, em parceria com o Fundo Brasileiro para a biodiversidade (FUNBIO). Ignácio acredita que o trabalho, “que já é muito positivo”, pode ser aprimorado ainda mais.

Atentou para o fato de que a União Europeia possui acordo com o Governo Federal em que o Inpe [Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais] já utiliza as imagens geradas pela constelação de satélites Sentinel - um dos mais modernos do mundo, sendo desenvolvido pela Agência Espacial Europeia. O embaixador enxerga a possiblidade de um acordo direto com o Governo de Mato Grosso.


Embaixador da União Europeia, Ignácio Ybanez Rubio. Fotos: Techelo Figueiredo/SecomMT

“Agora vamos conversar... ver de que maneira podemos compartilhar esse conhecimento, se as imagens podem ser disponibilizadas para o estado”, destacou o embaixador ao acrescentar que o satélite é utilizado por várias nações do mundo.

Ignácio e os demais embaixadores Todd C. Chapman (EUA), Heiko Thoms (Alemanha) e Peter Wilson (Reino Unido) ficaram impressionadas com o trabalho tecnológico e integrado que ocorre na Sala de Situação da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT). Lá, uma equipe de especialistas do órgão monitora diariamente a cobertura vegetal dos três biomas do estado: Amazônia, Pantanal e Cerrado.

“É impressionante todo esforço que está sendo feito para conter o desmatamento ilegal em Mato Grosso”, destacou o embaixador da União Europeia.

O que mais chamou atenção de Ignácio foi o protocolo que a Sema desenvolveu para notificar os infratores, primeiro via email e depois por telefone. “Penso que isso também tem um caráter pedagógico, o fato de você entrar em contato com as pessoas e avisá-las por correio eletrônico sobre o desmatamento da área. Isso pode fazer com que a pessoa se conscientize e pare com a degradação ambiental”, ressaltou.

A secretaria da Sema, Mauren Lazzaretti, explicou aos embaixadores que é da Sala de Situação que saem as informações que subsidiam as equipes de fiscalização que estão em campo, no combate ao desmatamento ilegal. Nesse sentido, conforme a gestora, o trabalho é feito de maneira integrada envolvendo órgãos como o Batalhão Polícia Militar de Proteção Ambiental (BPMPA), Delegacia Especializada de Meio Ambiente (Dema) e o Batalhão de Emergências Ambientais (BEA).


Embaixadores conhecem a Sala de Situação na Sema-MT

“Esse trabalho em conjunto permite subsídios e resposta rápida às equipes de campo para conter o desmatamento ainda no início”, enfatizou a secretária ao acrescentar que em relação a notificação remota, a Sema já enviou mais de 30 mil e-mails aos infratores ambientais.

Os quatro embaixadores estão desde segunda-feira (07) em Mato Grosso para conhecer a política ambiental do Estado, bem como os investimentos do Programa REM MT em projetos sustentáveis que mantém a floresta em pé.

O REM MT (do inglês, REDD para Pioneiros) é uma premiação ao estado pelos resultados na redução do desmatamento nos últimos 10 anos. A cooperação internacional dos governos do Reino Unido e da Alemanha doam recursos por meio do BEIS e do Banco de Desenvolvimento Alemão (KfW) para o Programa que aplica em ações de conservação da floresta a fim de reduzir emissões de CO2 no planeta. Para isso, beneficia diretamente iniciativas que contribuem para reduzir o desmatamento, estimular a agricultura de baixo carbono e apoiar povos indígenas e comunidades tradicionais. 

Avalie esse item
(0 votes)
Modificado em Segunda, 14 Junho 2021 11:43

Parceiros

Image
Image
Image
Image
Image
Image